Atividades

Freguesia de Vilarinho do Bairro

A freguesia de Vilarinho do Bairro é uma grande freguesia do extremo sudoeste do concelho da Anadia. Fica na fronteira entre este e o concelho vizinho de Oliveira do Bairro e o distrito de Coimbra e tem como limites, dentro da Anadia, Amoreira da Gândara, S. Lourenço do Bairro e Óis do Bairro. É constituída pelos lugares de Azenha, Azenha Nova, Banhos, Bemposta, Chipar de Baixo Chipar de Cima, Esteireiros, Freixa, Levira, Melada, Moita de Chipar, Moita Redonda, Pedreira de Vilarinho, Poutena, Quinta do Perdigão, Samel, Torres, Vendas de Samel e Vilarinho do Bairro. A área que hoje corresponde à freguesia de Vilarinho do Bairro foi povoada e explorada durante o período romano. O sítio arqueológico de Nossa Senhora dos Banhos corresponde a um complexo termal, do qual se encontraram duas banheiras em pedra. Relembre-se que, não muito longe, encontravam-se as Termas da Curia, que também foram exploradas pelos romanos. O Habitat do Porto da Pipa também data do período romano. Aí foram recolhidos fragmentos de tegulae, escória e cerâmica doméstica. As primeiras referências escritas a Vilarinho do Bairro datam da primeira metade do século XI. Através de documentos do século XII, é possível determinar que o seu território pertencia ao Mosteiro da Vacariça. Aliás, são citados directamente lugares como os de Levira, Lázaro e Samel. Pertenceu também ao Bispado de Coimbra, de padroado régio, como consta do respectivo rol. Desse rol faziam parte, também, muitas outras igrejas. Vilarinho do Bairro foi concelho, criado em 6 de Março de 1515 pelo rei D. Manuel I. Viria a ser extinto em 1836 como muitos outros municípios desta região. Tinha então 385 fogos e 1820 habitantes. Naquele ano, passou a integrar o concelho de S. Lourenço do Bairro, mas com a extinção deste, em 1855, transitou definitivamente para o concelho da Anadia. No que diz respeito ao património edificado da freguesia, temos em primeiro lugar a Igreja Paroquial de S. Miguel, que apresenta características claramente barrocas. Foi construída no século XVIII. Situa-se na rua Arcipresta Manuel Rodrigues Almeida. A fachada termina em empena e tem adossada, do lado esquerdo, uma torre sineira. No que diz respeito à arquitectura senhorial, merece destaque a Casa da Família Renato, situada no lugar de Poutena e proposta para Classificação pelo Plano Director Municipal da Anadia. A ordenação heráldica da freguesia, datada de 16 de Março de 2005, é a seguinte: Escudo de ouro, balança de pratos, de púrpura, realçada de prata, acompanhada de quatro cachos de uvas de púrpura, folhados de verde, dois em chefe e dois em campanha. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco, com a legenda a negro: “VILARINHO DO BAIRRO – ANADIA”.